Indefinido





Ela escrevia para  libertar-se,
Para extravasar o que estava sentindo,
Pensamentos incontroláveis,
Insanos sobrevoavam sua cabeça.

Tudo era o que parecia ser,
Tudo fazia sentido por algum tempo,
Mas depois não mais,
Sentimentos inexplicáveis misturavam-se aos que eram óbvios,
E chocavam-se,
Chocavam-se e misturavam-se,
Seguidamente nesta ordem.

Tudo era inconstante e indefinido,
Tudo era e não era,
Todas as emoções eram supostamente explicáveis,
E indefinidamente irreais.

Ela queria ser na verdade uma estátua de gelo,
Para não sentir mais nada,
Mas sentia,
E o que sentia, feria a alma.

Então  para não afogar-se dentro de um mar de lágrimas secas,
Escrevia para libertar-se,
Para compreender se as regras sem regras do coração,
Se pela razão fazem sentido!?
Ou se tudo nao passa mesmo,
De Indefinido....

                                                          

Comente pelo Blogger
Comente pelo Facebook
Comente pelo Google+

0 comentários:

Postar um comentário

É um prazer tê-lo(a) aqui, comente, se expresse!

Deixe-me que Te Leia...


Voltem sempre e saudações a tod@s!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Não posso, não quero e não vou fugir do que sou, sou a soma de todos os meus atos, sou o resultado de tudo que fiz e vivi, e vivendo na intensidade de mim, me tornei única!



Vanessa Palombo

Categorias

Arquivo

Visualizações