O Regresso





Deixei a estrada florida,
Para percorrer uma nova estrada,
Desbravei caminhos desconhecidos,
Olhei o mundo através das lentes marrom dos meus óculos escuros,
Percorri outras paisagens e senti novos aromas,
Gostos e sabores,
Durante o percurso,
Certezas incertas consumiram-me pouco a pouco,
Fui perdendo a lucidez tentando compreender as razoes que levavam-me para longe.

Na verdade sempre desconfiei que minha sanidade não cabia exatamente dentro do cérebro,
Assim como meus sentimentos nunca couberam dentro do espaço físico do corpo,
Sou a tempestade que devasta,
E ao meu tempo a chuva de verão que refresca.

Durante o percurso, algumas atitudes fizeram do que era novo tornar-se velho,
Enigmas indecifráveis da minha existência perturbadora,
Fizeram de mim um labirinto sem começo, meio e fim,
Escolhas aleatórias deixaram cicatrizes profundas em outros corações.

Meus devaneios causaram dores inexplicáveis por toda parte,
Fui o Judas de mim mesma,
Neguei-me três vezes como Pedro,
Dei a cara a tapa, como Thomé tive que ver para crer,
Como se a sabedoria de Salomão tivesse sido confundida com a manipulação de Dalila,
Fui Josué de mim mesma,
Parei o sol que aquecia-me por pura vaidade,
Cometi injustiças em nome do que chamei de amor,
Fiz e desfiz,
Estendi a mão e depois as recolhi,
Pintei e bordei as folhas do livro da minha vida,
Com uma espécie de sangue invisível.

Retrocedi,
Tive que sentir na pele a dor de perder-se de si mesmo,
Fui perdendo-me durante o percurso.

O tempo passou e um dia para minha surpresa,
Reencontrei-me exatamente na estrada inicial,
A estrada singela que encantava-me com flores coloridas.

Tudo agora parece ainda mais encantador,
As flores estiveram o tempo todo a minha espera,
Belas, coloridas e perfumadas.

Como um filho pródigo que retorna ao lar.
Retornei e um pranto sentido escorreu pelos meus olhos.
Inconscientemente o aroma mágico do amor impregnado nas flores da estrada,
Trouxeram-me de volta...




Comente pelo Blogger
Comente pelo Facebook
Comente pelo Google+

5 comentários:

  1. Simplesmente belo e refletivo...

    ResponderExcluir
  2. Olá, Vanessa!
    Gostei muito deste seu belo poema, que tem versos como estes, que transcrevo:

    "Estendi a mão e depois as recolhi,
    Pintei e bordei as folhas do livro da minha vida,
    Com uma espécie de sangue invisível."


    Um excelente final de semana.
    Um abraço.
    Pedro

    ResponderExcluir
  3. Oi, Vanessa! É mesmo curioso o percurso que por vezes nossa vida pode fazer para nos reencontrarmos! Abraços!

    ResponderExcluir

  4. Olá, querida amiga Vanessa!
    Tudo agora parece ainda mais encantador,
    As flores estiveram o tempo todo a minha espera,
    Belas, coloridas e perfumadas.
    Muito belos estes versos que me encantaram nesta noite... assim é!
    Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
  5. Uau que lindo,uma vida que estava sumindo e
    de repente volta como queria,parabéns pelas
    perfeitas palavras tão bem colocada
    Bom final de semana •B🙃m d🌷a ☀️😎

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo(a) aqui, comente, se expresse!

Deixe-me que Te Leia...


Voltem sempre e saudações a tod@s!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Não posso, não quero e não vou fugir do que sou, sou a soma de todos os meus atos, sou o resultado de tudo que fiz e vivi, e vivendo na intensidade de mim, me tornei única!



Vanessa Palombo

Categorias

Arquivo

Visualizações