Reflexões




O  ano está quase chegando ao fim, e estou pensando na sensação estranha e fria que tive quando o relógio marcou exatamente 00h:00 do dia primeiro de janeiro de 2017. Naquele momento senti que permaneceria presa de alguma forma a este ano. Alguma coisa, algum fato, algo inusitado me marcaria profundamente, tinha certeza disso, confesso que fiquei amedrontada por algum tempo.
No decorrer dos meses, vivi momentos intensos de alegria escancarada, mas também vivi momentos intensos de tristezas absurdas, fiz algumas escolhas e acabei desistindo delas, depois voltei atrás novamente, depois me encantei com outros cenários e acabei desistindo de tudo.
Na verdade passei o ano inteiro fugindo das consequências das minhas escolhas, fugindo de mim, e de coisas que não tive coragem de enfrentar, de coisas que saíram  fora do meu controle emocional e existencial.
Fugir de mim mesma sem dúvida alguma é, foi e sempre será a pior de todas as fugas, limitei minha existência dentro de algumas convicções que nem eu mesma acreditava, meu espírito grandioso se encolheu para viver dentro de uma caixa escura e vazia.
Sinto que fui deixando a  razão que tenho  e um pouco da  lucidez que me resta pelas estradas que percorri ao longo do ano. Deixei em cada por do sol, um pouco da esperança de acreditar que poderia encontrar uma saída, sem precisar fugir das algemas invisíveis, que me aprisionam numa cela de muros imaginários, localizada em algum lugar além do abstrato.
2017 está chegando ao fim, e como todos os outros mortais que vivem na Terra, acredito que 2018 será um ano positivo, de muito trabalho, perseverança, de conquistas e vitórias, acredito que vou encontrar respostas simples para as perguntas complexas que insistem em escravizar minha mente insana.
Por um instante olhei para mim mesma e perguntei em pensamento, quem era a mulher que eu via refletida no espelho, e um silêncio sombrio tomou conta do meu corpo.

Então a frase dita há tanto tempo pelo filósofo grego Sócrates, fez todo  sentido no momento que vivo chamado “agora”

“Conhece-te a ti mesmo e conhecerá o universo e os deuses”



Caros leitores, desejo que tenham um Natal iluminado, cheio de paz, amor e confraternização, e que 2018 seja um ano de  muita saúde, de muita paz, e de grandes realizações para todos nós....


                                                             Saudações a todos


Comente pelo Blogger
Comente pelo Facebook
Comente pelo Google+

6 comentários:

  1. É amiga... "o conhece-te a ti mesmo"... faz parte da nobre missão na arte de viver! Excelente sua reflexão!
    Bom Natal e abençoado Ano Novo!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Conhecer a si é um desafio né! Tudo muito evoluído aqui, beijos

    ResponderExcluir
  3. Anos se passam e neles vemos sempre nossa melhora,e cada vez aprendemos mais,sempre estamos aprendendo,e temos sim que ter sabedoria e força pra conduzir nossa cabeça para o melhor,desejo a voce linda escritora o melhor final de ano, que em 1018 sua escolha seja certa bjuss da Mamys!!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Vanessa, bela reflexão... pareceu-me que em algum momento olhará esse ano como um período de transição e extremo caminho de autoconhecimento. Boas festas, lindo 2018! Que as respostas simples sejam encontradas com a leveza que a vida merece!

    ResponderExcluir
  5. Vanessa, os meus votos de um FELIZ NATAL e de um PRÓSPERO ANO DE 2018 repleto de saúde, amor, paz, alegria e de outras coisas igualmente boas.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Voltei para ver as novidades.
    Assim, reforço o meu desejo de um BOM ANO NOVO, extensivo à família e amigos.
    Beijo.

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo(a) aqui, comente, se expresse!

Deixe-me que Te Leia...


Voltem sempre e saudações a tod@s!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Não posso, não quero e não vou fugir do que sou, sou a soma de todos os meus atos, sou o resultado de tudo que fiz e vivi, e vivendo na intensidade de mim, me tornei única!



Vanessa Palombo

Categorias

Arquivo

Visualizações