O Iceberg



Fechei os olhos por alguns minutos,
Concentrei-me numa melodia silenciosa para tentar enxergar-me por dentro,
Precisava encontrar a parte submersa do meu iceberg interior,
Se não pudesse destruí-lo,
Precisaria ao menos encontrar um atalho para que meu barco pudesse navegar em águas tranquilas.

Durante o percurso da minha vida,
Vários barcos bateram fortemente no iceberg do meu orgulho, da minha intolerância e da minha incompreensão,
Naufraguei tantas vezes que perdi as contas.

Depois, as ondas sempre lançavam-me em direção a ilha mais próxima,
Exausta de tanto nadar,
Lá estava eu,
Sentada novamente na areia da praia olhando para o nada,
Pensando onde havia errado daquela vez,
E o que poderia fazer, para que meu barco não se chocasse com o tenebroso iceberg de novo.

Então, o vento do litoral soprou-me ao pé do ouvido:

“ A solução é bem mais simples do que parece, o iceberg sempre estará no mesmo lugar, mas se conseguir controlar a ansiedade que te cega, com cuidado e sem pressa, conseguirá dele desviar.”...


                                                                      
Comente pelo Blogger
Comente pelo Facebook
Comente pelo Google+

5 comentários:

  1. Olá Vanessa,
    Navegamos quase sempre por perigosos mares, que esconde perigosos monstros de gelo, dos quais podemos livrar-nos se mantivermos a calma.
    Uma ótima semana.
    Um abraço.
    Pedro

    ResponderExcluir
  2. Olá, Vanessa, como vai? Muito profundo seu poema... todos temos esse iceberg que nos amedronta, nos cobramos pelos erros, e vamos aprendendo aos poucos a ter mais paciência e compreensão não só com a vida, mas sobretudo, conosco. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Ah, a ansiedade é meu mal!...
    Nós criamos tantos icebergs...
    Bonito!

    Beijos =)

    ResponderExcluir
  4. Nem preciso dizer mais nada esse trecho é divino
    parabéns por mais esse post que ameiiii

    “ A solução é bem mais simples do que parece, o iceberg sempre estará no mesmo lugar, mas se conseguir controlar a ansiedade que te cega, com cuidado e sem pressa, conseguirá dele desviar.”..

    Bjusss
    Mamys

    ResponderExcluir
  5. Me vi demais nesse poema, e ao final é isso mesmo controlar a ansiedade, ser cuidadosa e não ter pressa!!

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo(a) aqui, comente, se expresse!

Deixe-me que Te Leia...


Voltem sempre e saudações a tod@s!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Não posso, não quero e não vou fugir do que sou, sou a soma de todos os meus atos, sou o resultado de tudo que fiz e vivi, e vivendo na intensidade de mim, me tornei única!



Vanessa Palombo

Categorias

Arquivo

Visualizações