Culpados




Aquele relacionamento era diferente de tudo que haviam vivido, sentiam sensações pela metade.
O amor não conseguia ser puro e pleno, as pequenas cobranças deixavam-no com o peso do mundo nos ombros, e com esse peso todo, o amor que sentiam não conseguia respirar.

Aprenderam a sobreviver sem ar, e com o passar dos anos, tudo permanecia exatamente igual.
Nessa altura do campeonato o que era bom havia desaparecido, portanto, deixaram de ser inocentes.

Sem julgamento, tornaram-se culpados por não abrirem mão de algo que machucava seus corações,
Eram culpados por acusarem-se mutuamente,  por deixarem que a culpa de todas as imperfeiçoes caísse sobre os ombros do outro, a culpa do que estava fora de controle jamais deixou que o outro tivesse razão.
Eram culpados por não buscarem juntos o ar que os traria de volta a vida, eram culpados por não valorizarem-se o suficiente para admirarem-se.

Eram incapazes de perdoar  por sentirem-se culpados... 
Comente pelo Blogger
Comente pelo Facebook
Comente pelo Google+

12 comentários:

  1. O que pode fazer o sentimento de culpa?
    Um belo texto com reflexões perfeitas e dolorosas, o não se permitir reencontrar o caminho,
    que nos leva a uma vida leve e plena em nome de uma pseudo culpa.
    Muito bom Vanessa.
    Carinhoso abraço amiga.

    ResponderExcluir
  2. Triste mas infelizmente muito verdadeiro! Linda texto,Vanessa! bjs,

    ResponderExcluir
  3. Tantos assim nos dias de hj...

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Um pouco de comodismo, por ambas as partes
    muitos se acostumam assim e vive até a morte
    o que é uma pena não sabem o que é ser feliz
    É a mais pura realidade.....gostei

    Bjuss de boa noite com bons sonhos

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  5. Imperou o orgulho... a meu ver foi a culpa maior.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Retrataste muito bem o que acontece infelizmente em muitos relacionamento.
    Parabéns mais um belo escrito.

    ResponderExcluir
  7. Onde existe o orgulho, impera a vaidade e o perdão não tem lugar, infelizmente.É uma realidade nua e crua que assistimos em nossos dias.
    Muito bom!
    Abração.

    ResponderExcluir
  8. Essa situação é mais frequente do que parece...
    Quando não há amor, ou pelo menos respeito e amizade, as coisas correm mesmo mal.
    Gostei do teu ponto de vista, o texto é magnífico.
    Tem um bom resto de semana, querida amiga Vanessa.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Querida amiga

    O amor chega ao fim,
    não quando as pessoas se separam,
    mas quando sequer
    possuem ânimo para discuti-lo.

    ----------------------------------------------------

    Desejo aos que passam
    por minha vida,
    a ousadia da felicidade,
    de encontrar a cada segundo
    a inspiração necessária
    para viver o presente
    e ansiar o futuro.

    Que as palavras continuem generosas
    neste precioso espaço de sentimentos.

    ResponderExcluir
  10. Olá Vanessa, acho que no fim das contas eram culpados pelo tempo perdido, por não ter posto fim nesta história antes srsr Bjossss

    ResponderExcluir
  11. Oi, Vanessa, como vai? Defendo muito o perdão enquanto libertador, tanto o próprio, como ao outro. Quando a relação chega nesse ponto, de acusações, de culpas, não consigo mais enxergar resgate... o perdão é capaz de aliviar o coração e possibilitar que cada um siga seu caminho livre para buscar um amor que acrescente, e não, subtrai... que faça feliz, e não, que cobre felicidade. Um abraço!

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo(a) aqui, comente, se expresse!

Deixe-me que Te Leia...


Voltem sempre e saudações a tod@s!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Não posso, não quero e não vou fugir do que sou, sou a soma de todos os meus atos, sou o resultado de tudo que fiz e vivi, e vivendo na intensidade de mim, me tornei única!



Vanessa Palombo

Categorias

Arquivo

Visualizações