Nó na Garganta





Preciso urgentemente de uma pausa,
Preciso urgentemente respirar fundo para não perder o controle,
Preciso urgentemente tomar um copo com alguma espécie de água mágica,
Preciso urgentemente que essa água milagrosa faça descer,
O nó que está entalado na minha garganta...




Ps. Essa semana nao participarei da Blogagem Coletiva, mas semana que vem estarei de volta!

Saudações a todos!
Comente pelo Blogger
Comente pelo Facebook
Comente pelo Google+

31 comentários:

  1. Meu Deus Vanessa!
    Grite muito...alivia a tensão.
    Vá passar uns dias numa cidade turística que tem aqui por perto mesmo, em Poços de Caldas, relaxar na borbulhantes águas térmicas e comprar bugigangas.
    Não nos abandone por muito tempo. Tá?
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  2. Eita não sei o que houve mas espero que fique bem, love iuuuu chuchu loirinha, tire seu tempo e volte logo vc faz falta nas blogagens.

    ResponderExcluir
  3. Nossa Vanessa espero que não seja nada serio, essa semana pra mim tbm não foi boa ia ser promovido e do nada meu patrão escolheu um rapaz que esta aqui somente 2 meses foi o fim pra mim sabe quando não desce kk, pois é mas no final serviu pra acordar sabe, preciso rever meus conceitos.

    ResponderExcluir
  4. O que sentes tu menina
    Porque estás revoltada
    Sofres desde pequenina
    Luta contra a desgraça!

    Continuação de boa semana
    para você, amiga Vanessa
    Um abraço
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  5. Un poema como un grito, así caracterizez. Todos mis pensamientos!

    ResponderExcluir
  6. Sabe... não é nada bom engolirmos "sapos"... Bote-os pra fora mesmo...
    Desopile seu fígado e, fique bem.
    Bj. Célia.

    ResponderExcluir
  7. Vanessa, querida, eu precisei de um grito desses e deu certo. Soltei o nó da garganta, desabafei e pude ver melhor tudo a minha volta. Parabéns pela sua sensível arte de escrever o que nos traduz e que alcança o coração !!Beijos !

    ResponderExcluir
  8. Oii Vanessa, olha entendo perfeitamente, as vezes precisamos mesmo de uma pausa, como eu fiz na semana passada, foram 7 dias e confesso que ainda não consegui resolver tudo que precisava! Bom de qualquer forma tire o nó da garganta amiga, dê um Berroooooo se preciso for e volte! bjooooosss

    ResponderExcluir
  9. Putz não sei o que houve mas já precisei muito dessa água mágica para não socar pessoas traiçoeiras.

    ResponderExcluir
  10. Vanessa essa semana também não posso participar, mais na prox. nos encontraremos. bjos

    ResponderExcluir
  11. Espero que consiga desfazer este nó, porque engasga e não faz bem...
    beijos

    ResponderExcluir
  12. Respire fundo, Vanessa e faça apenas o que estiver ao seu alcance, querida!
    O restante...Bem, você sabe nas mãos de quem deve deixar.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  13. Ese No que se instala en la carganta ante ritmo vertiginoso y artificioso de Nuestra Vida.
    Precioso Post.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  14. Seu blog é lindo, muito fofo mesmo*0* parabéns!! Já estou te seguindo amada =))

    Convido voce e suas leitoras a conhecer meu blog

    toobege.blogspot.com

    Beijinhoooos ;**

    ResponderExcluir
  15. Oi Vanessa senti sua falta hoje na BC.. Espero que fique bem e que logo retorne pra nos encantar..
    Um beijo carinhoso no seu coração...
    Sheila

    ResponderExcluir
  16. Senti falta da sua participação. Beijos!

    ResponderExcluir
  17. É isso aí, joga pra fora...rs.
    Att.,
    Luks

    ResponderExcluir
  18. Sua amizade e muito importante para
    mim .
    Tenho vivido nos últimos tempos
    muitas dificudades para fazer visitas.
    o tempo vai passando nada melhora
    para ,que possa digitar.
    O fato de não poder comentar não significa,
    que deixei de ler sua postagem ela é
    minha bagagem para meu segundo livro.
    Quando lemos bastante adquirimos mais sabedoria
    na escrita tornando maior nossa bagagem.
    Cada blog visitado representa a história de uma vida.

    Na minha postagem tem sorteio de dois livros
    de um amigo escritor.
    Ficarei feliz aceitando e convite
    para participar do sorteio.
    Já conheço a grandeza das obras do livro dele.
    Uma linda noite te espero para viagem beijos,Evanir.

    ResponderExcluir
  19. É tem horas que precisamos colocar pra fora tudo que nos está incomodando. E isso é bom!
    Beijos amiga XD

    ResponderExcluir
  20. E quantas vezes temos que gritar até
    alguém ouvir ou fazer um barraco mesmo, pessoas que a gente confia são assim ....Mas entregue nas mãos de Deus..ele com certeza dará o melhor
    e mais sábio grito
    Estrarei sempre por aqui cuidando de você
    Abraços da Madrecita
    Bjuussss

    ResponderExcluir
  21. Vanessa, amada irmã
    Paz
    É desta forma a vida: tempo que é lago tranquilo ora mar fremente.
    E o nosso coração...Ó! Ai como dói!.
    Do coração à garganta – inevitável gritar!
    Faz tempo; tempo que se faz agora, sem espera, que desatei um desses nós.
    Fui ajudado pela veia poética de João Alexandre:

    Que os erros de outrora nos façam pensar
    Que o tempo é agora e não pode esperar
    Que o amor não tem hora, nem cor, nem lugar
    E só tem sentido se a gente se amar.

    Que a nossa garganta desate esse nó
    Num abraço apertado sem medo e sem dó
    Que a gente divida entre acordes e tons
    A honra e o prazer de juntar nossos dons

    Que Deus sobre nós multiplique esse amor
    Sadio e sincero no riso e na dor
    Que as nossas canções/poesias falem sempre de paz
    Nem muito de menos, nem pouco demais.

    Por favor, não se apresse em voltar, mas não se demore em ficar.
    Em minha recente e longa mensagem não me limitei a gritar – berrei, bradei, vociferei alto e em bom tom – você leu?
    Alberto


    ResponderExcluir
  22. Descanse e volte bem minha amiga! Obrigada pelo carinho e pelos comentários sempre tão gentis!
    Um abençoado e feliz final de semana!
    Abraço carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Olá minha prezada e caríssima amiga, bom dia!
    Com muita satisfação, venho lhe comunicar que o Prosas Poéticas já está no ar. Espero que lhe seja do agrado.
    Aproveito para, além de lhe desejar um maravilhoso final de semana, parabenizá-la pelo criativo e original poema desabafo....
    Um beijo e até mais!

    ResponderExcluir
  24. Espero que o a água mágica faça desaparecer o nó na garganta para voltar a ler nestas páginas a sua bela escrita muito em breve!

    ResponderExcluir
  25. Muito bom o que escreveu!
    Tocante, profundo!
    Tantos nós que nos sufocam!
    E gritar liberta a alma.
    Beijinhos e muito grata por este grito que é o grito de tantos.

    ResponderExcluir
  26. Olá, Vanessa.
    Não sei pelo que estás passando, mas te aconselho a segurar apenas o que cabe em tuas mãos, o que não podes carregar, deixe pra lá.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  27. Grite Vanessa, e fique perto de todas as coisas boas e mágicas que puder, e volte, mais forte, mais linda, mais você.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  28. Olá Vanessa (xará, rsrs) sou nova aqui no seu blog, gostei muito da sua arte, parabéns! Beijos.

    ResponderExcluir
  29. Não!
    Não engula o nó.
    Há sempre um meio de desatá-lo.
    Bom descanso.

    ResponderExcluir
  30. Ei Vanessa...

    Minha amiga, suas urgências são tão não necessárias que se não não realizadas podem te calar de vez...Se permita ...se cuide...e tire este nó que te sufoca....

    Beijos e bom final de semana pra ti

    ResponderExcluir
  31. Puxa, que bom seria se inventassem ou descobrissem essa água milagrosa, tem horas que dá vontade de sumir mesmo! Recebe meu abraço, não desentala o nó, mas aquece a alma.

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo(a) aqui, comente, se expresse!

Deixe-me que Te Leia...


Voltem sempre e saudações a tod@s!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Não posso, não quero e não vou fugir do que sou, sou a soma de todos os meus atos, sou o resultado de tudo que fiz e vivi, e vivendo na intensidade de mim, me tornei única!



Vanessa Palombo

Categorias

Arquivo

Visualizações