Abraça-me





Abraça-me e nada diga,
Apenas sinta as batidas do meu coração,
Aperta-me contra teu peito e afague meus cabelos.
Não precisa nada entender.

É no amparo dos teus braços,
Que entro em contradição com meus sentimentos,
Penso que as vezes,
A menina carente que fui,
Sobressai a mulher que sou,
Outras vezes a mulher incompreensível que sou,
Procura respostas na menina carente que fui.

Talvez seja tudo mais complexo do que isso,
Talvez eu saiba, porque as vezes tenho atitudes infantis com você.

Talvez porque as duas ainda vivam lado a lado,
Dividindo espaços dentro de mim.

Talvez eu ainda seja aquela menina carente,
Ou talvez eu seja apenas uma mulher incompreensível,
Solitária e indecisa,
Briguenta e birrenta as vezes,
Porque não?

Tudo continua complexo,
Sei que seria difícil definir-me para você,
Porque mesmo para mim, ainda não encontro definição.

Mas de alguma forma, você sabe que sou metade menina e metade mulher,
E consegue definir-me dentro do teu coração,
Talvez porque a criança que foi, também ainda more no teu peito.

Em meus pensamentos peço que continue em silêncio,
Sem desconfiar que é nos teus braços que perco-me.

Então se perco-me quando estou com você, porque permito perder-me?
Em contradição comigo mesma,
Simplesmente abraço-te...


Comente pelo Blogger
Comente pelo Facebook
Comente pelo Google+

26 comentários:

  1. "É no amparo dos teus braços,
    Que entro em contradição com meus sentimentos,
    Penso que as vezes,
    A menina carente que fui,
    Sobressai a mulher que sou,
    Outras vezes a mulher incompreensível que sou,
    Procura respostas na menina carente que fui."

    Boa noite! Eu gostei a estrofe do poema inteiro e transmitem muito sentimento e um estatuto especial. Bons pensamentos!

    ResponderExcluir
  2. Uauuuuuuuuuu,Vanessa que poesia linda!Você se soltou!!
    Semana abençoada amiga!
    Beijos, Soninha.

    ResponderExcluir
  3. Tanta coisa cabe num abraço,não? Lindo!! beijos,ótima semana!chica

    ResponderExcluir
  4. Vanessa, que delícia de poesia!
    Senti como se eu estivesse no lugar do eu lírico, na confusão interior vezes menina vezes mulher!
    Linda escrita!

    Boa semana,
    bjoks

    ResponderExcluir
  5. Tem razão Vanessa, por muitas vezes não há como definir sentimentos, apenas sentindo o abraço desejado e as batidas do coração ao lado é que conseguimos entender o que não somos capazes de expressar em palavras... e por que deveríamos?
    Sentir já basta.

    Ótima semana pra você!

    ResponderExcluir
  6. Sou um devoto fazedor de sonhos
    Um homem que segue o destino
    A minha sombra nem sempre me acompanha
    Nem sempre acredito haver um ser divino

    Nem sempre acredito que há coisas para a creditar
    Nem sempre uma viagem tem um feliz fim
    Já acreditei no imenso do sentir de gente
    Que me disse sentir tanto por mim

    São tão perfeitas as flores
    Não morrem, apenas se despem das cores

    Doce beijo

    ResponderExcluir
  7. Abraça-me, lindo Vanessa, intenso e vivo, não dá para definir que lado escolher a mulher ou a menina... Mas me meio as duas existe um ser humano radiante que procura aconchego, adorei.

    Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  8. Um abraço de uma pessoa amada vale muito em nossa vida,o abraço aconchega a pessoa, ela se sente protegida de qualquer coisa que venha ameaçá-la, o abraço da pessoa amda é muito importante, Vanessa fique com Deus beijos.

    http://www.lucimarestreladamanha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Dicotomía entre esos sentimientos de menina y aquellos otros de mujer.
    Una Preciosidad de Abrazos.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  10. Oii Vanessa, por mais mulher que sejamos a carência de um abraço ou de um amor sempre nos faz sentir como meninas, o amor é um sentimento que nos faz eternamente adolescentes inseguras rsrsr bjooooss

    ResponderExcluir
  11. A ternura que recebemos de um amor é a marca perpetuada em nossos corações. Poema lírico e por isso mesmo, belo!
    Bj. Célia.

    ResponderExcluir
  12. Muito belo, terno e doce, este abraço!

    ResponderExcluir
  13. ✫. `⋎´ ✫❤✫..
    (⁀‵❤⁀,) ✫✫✫Bom dia .......✫.❤
    Abraça-me e nada diga,
    Apenas sinta as batidas do meu
    Já começou bonito esse poema
    eu amei abraços com carinho
    Rita!!!

    (⁀❤‵⁀,) ✫✫✫..! ♥
    .`⋎´✫✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫❤
    ✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫❤✫

    ResponderExcluir
  14. Oi Vanessa e nessas contradiçoes intimas vivemos todos nos, cada um a seu modo. Lindo, ameii.
    Bjks e otima tarde

    ResponderExcluir
  15. Oi Vanessa!
    O dia que nós perdermos a criança que vive no nosso corpo adulto, creia, estaremos caminhando para o fim.
    Que sejamos eternas crianças!
    Lindo demais...
    Beijos
    Sua fã
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  16. Minha querida

    Hoje passando para oferecer o meu selinho de 3 anos de blogue,uma fatia de bolo e uma taça de champanhe e agradecer o vosso carinho que foi o que me fez chegar aqui.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  17. Muito lindo teu poema amiga. Gostei muito!
    Beijão no ♥

    ResponderExcluir
  18. Muito lindo teu poema amiga. Gostei muito!
    Beijos no ♥

    ResponderExcluir
  19. As vezes me sinto assim tbm mulher e menina birrenta kk, adorei o poema nada como o braço do meu amor para me sentir segura e claro contraditória.

    ResponderExcluir
  20. Olá, Vanessa.
    Sempre seremos adultos e crianças simultaneamente, e é isso parte daquilo que torna cada um de nós único.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  21. Olá Vanessa! vim conhecer teu blog, e améi suas postagens, parabéns por ser de sua autoria. Já estou seguindo, convido você a conhecer o meu se gostar participe. Tem sorteio duplo no blog, desde já te faço o convite para participar. Abraços uma noite abençoada.

    ResponderExcluir
  22. Vanessa valeu a pena terminar a noite lendo esse belo poema..
    Menina que coisa mais linda..
    Ia escolher um pedacinho que mais gostei, mas teria que colocar ele todinho aqui porque está perfeito...
    Amei..
    Parabéns por mais esse belo poema..

    Beijinhos
    Sheila

    ResponderExcluir
  23. O amor tem destas coisas...razões que a razão desconhece. Lindo, gostei de ler. beijinhos

    ResponderExcluir
  24. Olá Vanessa! Ainda bem que os humanos são contraditórios, pior se eles fossem certinhos. Ou estaria noutras paragens, mais elevadas, ou seria monótono viver entre eles. É na contradição que podemos encontrar um termo que nos identifica e nos individualiza. Parabéns (sou suspeito em dizer isso) e um abraço!

    ResponderExcluir
  25. Siempre son necesarios los abrazos de cariño.
    Bss de colores.

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo(a) aqui, comente, se expresse!

Deixe-me que Te Leia...


Voltem sempre e saudações a tod@s!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Não posso, não quero e não vou fugir do que sou, sou a soma de todos os meus atos, sou o resultado de tudo que fiz e vivi, e vivendo na intensidade de mim, me tornei única!



Vanessa Palombo

Categorias

Arquivo

Visualizações