A Culpa da Inocência


A sua canção favorita tocava no rádio,
Estava deitada na cama, largada como um trapo qualquer,
Seu olhar perdido, permanecia grudado no teto meio amarelado,
Naquela melancolia, ela teve vontade de se despedir de tudo, das coisas,
E das pessoas,
Não tinha mais forças para lutar,
Havia perdido sua essência e seu brilho, por jardins que não eram seus,
Nesta perda dolorosa, pelo caminho entre as flores e os espinhos,
Acabou se perdendo de si mesma,
A ponto de não saber mais quem era e para onde iria,
Estava sufocada , era como se tivessem jogado-a no oceano, com uma pedra gigantesca amarrada a seu corpo,
Mergulhada dentro do próprio abismo,
Sem conseguir voltar para a superfície e respirar,
Tomou uma atitude,
Levantou-se rapidamente, e num ato impensado jogou com ira todos os comprimidos sobre a cama,
Decidiu ali, naquele momento que acabaria de uma vez por todas com a sua vida,
Enquanto retirava os compridos das cartelas e arrumava-os sobre os lençóis,
Se despediu de si mesma, pediu perdão a Deus, à sua alma,
E ao amor da sua vida, onde quer que ele estivesse,
O simples fato de viver lhe incomodava.

Uma voz que não calava dentro de si lhe falava todo o tempo,
"Como pode se matar se já está morta?"

Mas decidiu que concluiria esse pensamento,
Sentou-se na cama, e encheu a mão com os comprimidos,
Antes que os levasse até boca, o telefone tocou,
Ficou pensativa, não sabia se queria falar com alguém,
Mas não conseguiu controlar sua curiosidade,
Quando disse alô, seu coração disparou, chorando em silêncio permaneceu calada enquanto ouvia:

-"Helena, desculpe te ligar uma hora dessas, mas eu precisava falar com você, por favor não desligue o telefone, me ouça por gentileza, refleti muito sobre as nossas conversas, e acho que estou errada, não posso mais te culpar pela morte do meu filho, eu sei que vocês se amavam, o quanto você era importante, ele me disse várias vezes que você era o amor da vida dele. Hoje entendo que foi um acidente, que você não teve culpa de nada, o culpado foi aquele monstro embriagado que invadiu a pista contrária, e atingiu o seu carro, tirando a vida do meu menino, hoje entendo que foi uma fatalidade, que você não teve chance de defesa. Desculpe por tantas ofensas e acusações, não foi fácil pra mim, mas hoje compreendo que também não foi fácil pra você, ter que levar nas costas o fardo pesado da culpa, posto por mim. Te peço por tudo o que é mais sagrado que me perdoe, pois minha atitude egoísta, está me corroendo a alma. Quero te dizer também, que as portas da minha casa estarão sempre abertas pra você, venha quando quiser minha filha, será um prazer recebê-la. Por favor cuide-se, você é muito importante pra nossa família, fique com Deus, e saiba mesmo que você não queira, pra mim você sempre será a minha nora."

Aquele telefonema foi a salvação de Helena, aquelas palavras suavizaram o fardo pesado que não a deixava viver, naquele momento ela também se perdoou pelo acidente, e em prantos jogou todos os comprimidos fora, respirou fundo e percebeu que estava viva, seu coração bateu forte dentro do peito, convencida, então escolheu a vida, e decidiu viver...





Comente pelo Blogger
Comente pelo Facebook
Comente pelo Google+

15 comentários:

  1. Por isso que o perdão liberta não somente nos mesmos mas os outros, se a sogra não tivesse tomado a atitude de cair na real digamos assim mais uma vida inocente teria sido perdida, um belo conto, emocionante e edificante, que nos faz refletir!

    ResponderExcluir
  2. Bendito telefonema!* *
    Bendito Perdão..."o fardo que carregamos às vezes é insuportável...sei bem disso, mas se alguém nos ajuda a carregá-lo torna-se menos pesado e esse perdão salva tudo... "liberta', como diz a Patrícia;v~e bem esse texto me salvou, não vou dizer porquê mas precisava ler, vim aqui e estou me sentindo melhor.
    Obrigada por partilhar conosco , gosto do q escreves.
    Nem reparei se é teu o texto, de qualquer modo muito me ajudou;
    beijinhos.

    ResponderExcluir
  3. Oi Mery,

    Sim, todos os textos deste blog são meus...

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Ainda bem que DEUS mostra nosso
    arrependimento rápido...assim a
    gente pode ajudar as pessoas que
    tanto sofrem..Um texto de muito
    alto ajuda.

    Mais uma vez te parabenizo!!!

    ResponderExcluir
  5. O perdão também faz parte de tudo, da essência da vida. Mas também nada melhor do que pensar, analisar antes de falar...Esse texto garanto que fortace aqueles que leram, ou ouviram um história parecida em mudarem de pensamento, colocando a vida de volta para o seu lugar. bjs, muito bom o texto.

    ResponderExcluir
  6. Olá, querida

    No qual cada semente em FLORES de ouro abrindo...
    Em nossa mente árida ORVALHA TUA GRAÇA...

    Sempre há dentro de nós uma inocência que nos gera culpas... mas é crescimento também... tudo conta para nos impulsionar para o melhor que há em nós!!!
    Bjm festivo de paz

    ResponderExcluir
  7. Que belo conto, representa bem o quanto precisamos estar sempre prontos a liberar o perdão.

    Emocionante!
    Abraços...

    ResponderExcluir
  8. Olá Vanessa, lindo texto, o perdão só noz faz bem, parabéns pelo talento, passei p conhecer e já vou ficar por aki, convido a conhecer meu blog, se gostar do meu espaço fique por lá tbem, estarei sempre aki prestigiando seu talento! Parabéns
    trilhamarupiara.blogspot

    ResponderExcluir
  9. Oi Vanessa..
    Vim conhecer teu blog e achei teu espaço encantador.
    Aproveito para te desejar um ótimo fim de semana!!!
    E venha me visitar, será um grande prazer sua visita.
    bjss
    Borboleta

    ResponderExcluir
  10. Parabéns, belíssimo texto.
    Sucesso!

    Beijos,

    Prof. Israel Lima

    ResponderExcluir
  11. Vanessa, querida, seu texto é belissimo. Um gesto, uma palavra, o perdão pode mudar uma vida.Parabéns!Bjs. Vilma

    ResponderExcluir
  12. Gostaria de agradecer por compartilhar comigo a felicidade do prêmio que recebi no meu blog, sei que seus comprimentos foram sinceros, Deus te abençoe grandemente.

    ResponderExcluir
  13. Muito bom este conto, realmente você escreve muito bem, gostei demais, aliás gosto muito de tudo que tenho lido por aqui, meu anjo demorei a vir porque fiquei sem net dez dias, agora devagar coloco tudo em ordem, mas gostaria de te agradecer o carinho em meu blog e de desejar um lindo e maravilhoso 2012 e que você continue a escrever assim maravilhosamente bem, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  14. Excelente conto. Por mais que nos sintamos mortos, em determinados momentos, o chamado à vida pode chegar de onde menos esperamos, de uma direção para a qual não havíamos dirigido nosso foco.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  15. Vanessa, como é forte uma atitude, ela leva alguém ao fundo do poço ou a tira de lá. Lindo texto, verdadeiro e contundente. Adorei o teu blog e voltarei mais vezes.
    Um beijo prá ti

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo(a) aqui, comente, se expresse!

Deixe-me que Te Leia...


Voltem sempre e saudações a tod@s!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Não posso, não quero e não vou fugir do que sou, sou a soma de todos os meus atos, sou o resultado de tudo que fiz e vivi, e vivendo na intensidade de mim, me tornei única!



Vanessa Palombo

Categorias

Arquivo

Visualizações