O Sonho

Ela levantou-se do chão e ainda estava tonta, pensou que tivesse tido uma forte crise de labirintite,
a sensação que tinha, era como se estivesse embriagada, caminhava pela estrada e se perguntava onde será que estava seu carro, e porque estava deitada no chão fora dele.
Imaginou que pudesse ter sofrido um assalto, ou algo parecido, caminhou um pouco mais e avistou policiais, uma abulância e muitas pessoas adiante. Ainda se sentia mal, mesmo assim correu até eles, precisava pedir ajuda.
Quando chegou perto, se deu conta, que aquele carro que estava na estrada com as rodas pra cima era o seu, e assustada aproximou-se dos guardas, perguntou-lhes o que estava acontecendo, mas eles a ignoraram. Ela estava indignada, não entendia o porque eles não lhe davam atenção.
Ela estava fora de controle, chorava e gritava muito, pedia ajuda, mas ninguém a ouvia, quando sentiu alguém lhe tocando o ombro, virou-se rapidamente e avistou um senhor que lhe perguntou:
-Você está bem?
-Bem? Como posso estar bem, sofri um acidente, olha o estado do meu carro, provavelmente devo ter capotado uma ou duas vezes, fui arremessada na estrada, agora estou tentando pedir ajuda, preciso ir a um hospital fazer alguns exames, preciso de cuidados, estou implorando ajuda mas ninguém me ouve, e você vem me perguntar se estou bem!
Ele olhou para ela fixamente e disse:
-Estou aqui para ajudá-la no que for preciso.
-Você por acaso é médico? Pois preciso de cuidados médicos, preciso saber se estou bem!
Ela não parava de falar, reclamava de dores, estava preocupada, porque podia ter sofrido algum tipo de traumatismo com a queda, quando ele tocou-lhe novamente no ombro e disse:
-Tenha calma, não se preocupe, estou aqui para orientá-la e para lhe contar toda a verdade, sobre o que aconteceu com você, não se desespere, todos nós passamos por isso. Agora preste atenção e tente se acalmar.
Ele levou-a bem próximo ao carro, quando os bombeiros retiraram o corpo do banco do motorista, ela gritou:
-Meu Deus! Não pode ser!
Ela o agarrou pelo pescoço brutalmente e perguntou-lhe:
-Como posso estar vendo meu corpo com tantos ferimentos, se estou aqui sem ferimento algum conversando com você?
Ele pegou em suas mãos suavemente, passou a mão pelo seu rosto e disse:
-Tenha calma, não é tão ruim assim, a morte faz parte da vida!
-Morte?
-Desculpe usar essa palavra, só quero que você entenda que desencarnou, e agora está em outro plano.

Ele sentou-a numa pedra na beira da estrada, e começou a explicar-lhe o porque aquilo havia acontecido, enquanto ele falava ela chorava num desespero profundo, não aceitava o fato de ter desencarnado ainda tão jovem, e ele a consolava com todo carinho, a confortava, abraçou-lhe algumas vezes, e dizia que tudo aquilo era um processo natural, que a princípio a realidade dos fatos era pior do que um choque, mas depois entenderia que ela tinha um tempo determinado na Terra, e que esse tempo tinha se esgotado, independente do fato dela ainda ser tão jovem.


- Sabrina? Você está atrasada filha!
Ela pulou da cama, seu coração estava disparado, parecia que lhe faltava o ar, estava toda suada, com olhos arregalados de pavor, havia sonhado com a sua morte, aliás aquilo não era um sonho e sim um pesadelo horrível. Tomou um banho rápido, mas algo dentro de si dizia-lhe para não ir . Se vestiu e quando desceu as escadas,  sua mãe emocionada veio abraçar-lhe e carinhosamente deseja-lhe boa viagem, enquanto a mãe lhe abraçava, avistava seu pai  lá fora colocando suas malas no carro, ela sentiu um arrepio frio pela espinha, o medo dominou seu corpo, olhou bem fundo dentro dos olhos de sua mãe e disse:

-Mãe, mudei de ideia, resolvi passar o fim de semana com vocês,  e não vou mais viajar!
Sua mãe sorriu e disse:
-Não sei porque, mas sinto em te dizer isso!
Ela olhava para sua mãe esperando a resposta, a mãe com carinho passou a mão pelo seu rosto e disse com os olhos cheios de lágrimas:
-Sábia decisão!






Vanessa P. @ Escritora
Comente pelo Blogger
Comente pelo Facebook
Comente pelo Google+

9 comentários:

  1. Estou aqui para desejar um feliz de
    de semana ler sua linda postagem que
    na verdade é um livro lindamente resumido.
    Um lindo final de semana.
    Bjs no coração.
    Evanir

    ResponderExcluir
  2. Qdo li esse texto chorei,pq
    pensei na minha irmã,será que
    ela sentiu isso qdo nos deixou?
    Não foi de acidente ,mas de td
    jeito não deixa de ser um sonho
    que vai e não volta mais!
    Gostei como sempre parabéns!!!

    ResponderExcluir
  3. Um belo conto de um sonho que ajuda a enxergar a vida com outros olhos e mais valor.
    Beijos
    Carla

    ResponderExcluir
  4. Increible sueño,el que te puede hacer reflexionar sobre muchas cosa.
    Un abrazo y gracias..Me gusta tu blog.

    ResponderExcluir
  5. Bonito seu conto. Instigante.

    Boa semana, beijos!

    ResponderExcluir
  6. Eu nunca sonhei assim, alias pouco sonho, mas é um texto que nos faz refletir, muitos sonhos podem sim estar nos livrando de algo maior.

    ResponderExcluir
  7. Muito bom, eu já vivi algo parecido, e segui minha intuição e me livrei de um belo acidente.

    ResponderExcluir
  8. lINDO BLOG!
    PERECE UM SONHO, ADOREI ENCONTRAR VOC~E E SEU BLOG.
    bJS

    ResponderExcluir
  9. Acredito muito em um tipo de aviso, Deus está sempre a nos guardar, e creio que este conto mostra muito claramente isso.

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo(a) aqui, comente, se expresse!

Deixe-me que Te Leia...


Voltem sempre e saudações a tod@s!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Não posso, não quero e não vou fugir do que sou, sou a soma de todos os meus atos, sou o resultado de tudo que fiz e vivi, e vivendo na intensidade de mim, me tornei única!



Vanessa Palombo

Categorias

Arquivo

Visualizações