Girassóis

Numa aldeia no interior da França, morava uma jovem camponesa chamada Sharlot,
ela era alegre e vivia cantarolando entre os campos de girassóis.
Todo o sabado, ia com seus pais e seus irmãos para a cidade, levavam os girassóis e suas sementes para a comercialização em uma feira. Naquele dia Sharlot conheceu alguém que mudaria sua vida , Dimitri era um jovem sedutor, filho do Conde de Chateau Blanc. Dimitri seguiu a charrete de seu pai, em seu cavalo até a aldeia onde Sharlot morava e descobriu onde era sua casa. Depois daquele dia, passaram a se encontrar escondidos dentro dos campos de girassóis, e um forte amor surgiu entre os dois. Os pais dela percebram a aproximação do moço, numa noite após o jantar, o pai de Sharlot lhe chamou a atenção, disse que aquele rapaz não era pra ela, que ele pertencia a nobreza, e ela era filha de camponeses, dizia que os pais dele jamais aceitariam que o filho se casasse com uma plebéia, que ela iria se decepcionar se continuasse a encontrá-lo. Seu pai sabia que ela era moça inocente e que estava apaixonada e iludida, mas já previa o sofrimento de sua filha. Sharlot estava amando pela primeira vez, algo dentro dela dizia que ele não a abandonaria, sentia que ele a amava, então apaixonada ignorou o conselho de seu pai.

Alguns meses se passaram, e ela estava cada vez mais envolvida, Dimitri era um lord, um cavalheiro, ela nunca havia conhecido alguém como ele. Quando ia completar um ano que estavam se encontrando, Dimitri chegou com uma cara estranha, e aos prantos disse que teria que se despedir definitivamente de sua amada, pois estava de casamento marcado com a filha do rei. Explicou a ela que tudo havia sido arranjado pelos seus pais, que seria um casamento de conveniências, mas não poderia faltar com a palavra dada, já que seus pais eram amigos pessoais do rei. Mas que se Sharlot concordasse, depois de um certo tempo, eles poderiam continuar com seus encontros, pois ele a amava profundamente, mas nunca poderia assumir algo com ela, pelas diferenças sociais, teriam que ser amantes pra sempre, ele propôs ajudá-la financeiramente, compraria uma casa pra ela, e assim continuariam a relação. Sharlot ao ouvir isso tudo sentiu falta de ar, ela queria ser a esposa e não a amante, aos prantos e completamente destruida rompeu com ele.

No mes seguinte, descobriu que estava grávida, seu pai quando soube da gravidez quase teve um colapso, mas não desamparou a filha. Ela nunca mais conseguiu se envolver com outra pessoa, e dedicou sua vida exclusivamente a seu filho.
Ela foi uma mãe amorosa, zelosa e compreensiva, quando o menino chegou na adolescência contou-lhe sobre seu pai, mas não lhe disse seu nome, Dimitri era muito conhecido no reino, também havia sido nomeado chefe da guarda real.

Jean Cleud era um belo rapaz, amava sua mãe mais do que tudo na vida, viviam sempre juntos, ele era muito prestativo com a família, era o braço direito do avô na colheita e nas vendas na feira da cidade. Era sonhador e revolucionário, sua posição era sempre em oposição ao reinado, achava um absurdo os impostos altos que o rei cobrava, havia saido no braço algumas vezes com alguns soldados do rei, um soldado em especial já o tinha jurado de morte, eles sempre humilhavam os camponeses e Jean Cleud era contra esta postura tirana.

Aquele sabado era especial, Jean Cleud completava vinte anos, como de costume iam todos para a feira comercializar girassóis, Sharlot estava com pai atendendo os clientes, quando de repente percebeu as pessoas correndo em direção a catedral, estranhou quando ouviu um moço que saia correndo dizer, "vamos, vamos eles estão duelando", ela não entendia o que estava acontecendo, só via todos correrem desesperados em direção a catedral, seu pai a olhava com espanto, quando de repente sentiu alguém pegar firme em seu braço, e dizer-lhe no ouvido, "corra Sharlot seu filho está duelando com um homem em frente a catedral" era Elisabeth sua amiga de infância.

Sharlot saiu correndo em disparada, passava enlouquecida entra as bancas de frutas, chegou a derrubar várias delas pelo chão, esbarrando entre as pessoas, corria desesperada, enquanto corria sentiu um arrepio sombrio pelo corpo, alguma coisa lhe fez temer pela vida do seu filho, continuava a correr, quando chegou na esquina, havia dezenas de pessoas ali, foi passando entre elas, esbarrando em todo mundo, quando chegou bem em frente a catedral, seu coração parecia que ia saltar pela boca, seu filho estava duelando com Dimitri, num segundo de descuido pela sua inabilidade com o manejo da arma, Dimitri finca impiedosamente a espada no peito de Jean Cleud, atrevessando-a pelas suas costas. Neste instante Sharlot solta um grito de pavor tão alto, que faz com que as pessoas fiquem em silêncio, todos olhavam pra ela com espanto, inclusive Dimitri, quando a viu se aproximando do jovem caido ao chão, a reconheceu na mesma hora, ele a olhava com espanto e angústia, quando a viu cair de joelhos gritando desesperada, ela passava a mão devagar sobre o peito do filho já morto, seu choro era desesperador, não suportou a idéia de viver sem a razão do seu viver, naquele segundo lembrou-se de Jean Cleud ainda menino, ele era tudo o que ela tinha de mais precioso no mundo, Sharlot sentiu que seu coração explodia, a vida já saia de seu corpo, desfalecia aos poucos, antes de partir e cair morta sobre o corpo de Jean, olhou para Dimitri, e com a voz trêmula disse-lhe:
-É nosso filho!













Vanessa P. @ Escritora
Comente pelo Blogger
Comente pelo Facebook
Comente pelo Google+

9 comentários:

  1. Meu Deus que conto,nos prende, a medida que vamos lendo não se espera para um fim tragico e cheio de dor.Mas a realidade é crua e nua.
    Adorei ter vindo aqui,encontrei seu link no blog da nossa amiga Janinha(Blog:Cantinho Meu Bem).
    E já estou seguindo.
    Amei!!!, felicidades.

    ResponderExcluir
  2. Prende mesmo até o final que
    mesmo trágico,é lindo..uma bela
    história de amor.
    Amor de mulher ,
    E amor de mãe.
    São amores que vem,ficam e morrem
    juntos!!
    Maravilhoso!

    ResponderExcluir
  3. Voltei para agradecer sua visita no meu cantinho e pelo comentário.Fico feliz em te-la no painel dos meus seguidores.Como também já tenho como uma nova amiga.Levarei o seu link para meu outro blog que é parte do Avivar_Cel: http://avivar-cel-2.blogspot.com/
    Tenha uma linda noite de terça-feira com muita paz.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  4. muito bem escrito,
    adorei, mesmo com um
    final tão triste, mas na
    vida real muitas histórias
    de amor não terminam como
    gostaríamos.
    abraço

    ResponderExcluir
  5. Vanessa:
    estou aquí, agora, só para lhe agradecer o facto de me passar a "seguir" também.
    Um abração do
    Rui
    1lindomenino
    aloneasyou

    ResponderExcluir
  6. A vida as vezes nos prega peças. Muito bom.

    ResponderExcluir
  7. Que triste coitado do menino. Gostei.

    ResponderExcluir

É um prazer tê-lo(a) aqui, comente, se expresse!

Deixe-me que Te Leia...


Voltem sempre e saudações a tod@s!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Não posso, não quero e não vou fugir do que sou, sou a soma de todos os meus atos, sou o resultado de tudo que fiz e vivi, e vivendo na intensidade de mim, me tornei única!



Vanessa Palombo

Categorias

Arquivo

Visualizações